Colégio Integral

Acontece

21 de julho de 2020

Atividade Física X Sistema Imunológico

 Qual a DOSE certa para que esteja tudo em harmonia?

            Nosso corpo é uma máquina! Todos os sistemas do organismo estão integrados, cada um atua da sua maneira não esquecendo um do outro.

            E quando acontece de adoecermos ou algum fator estressante nos incomodar, ou ainda, de fatores externos como as alterações climáticas interferirem no funcionamento do organismo, o que acontece com o nosso corpo? Qual a relação da atividade física com o sistema imunológico? Ou ainda, porque adoeci se eu pratico atividade física?

Antes de tudo vamos entender um pouco do funcionamento do sistema imunológico:

Nosso sistema imune funciona de uma maneira brilhante. Ele ataca em forma de barreiras ou camadas a ação de todos os agentes externos que atrapalham o sistema orgânico do ser humano como as bactérias, os protozoários, os fungos, os vírus e tantos outros agentes nocivos que circulam no ambiente. Existem também os agentes internos como é o caso do câncer. Os leucócitos ou glóbulos brancos são responsáveis pela defesa do organismo. Ele juntamente com a linfa, são os responsáveis em coletar as substâncias nocivas que trafegam pelo corpo e estimular o sistema imune a conter ameaças.

O organismo acende um sinal vermelho a todo excesso ou deficiência que é provocado ao corpo. Atividade física em excesso o sistema imunológico fica alerta, nutrição inadequada o sistema imunológico fica alerta, sono inadequado ou estresse o sistema imunológico fica alerta, enfim, como já foi mencionado, o nosso corpo é uma máquina e precisa que todos os sistemas estejam funcionando em harmonia.

Segundo o Dr. Paulo Gentil, Doutor em Ciências da Educação e Mestre em Educação Física, “a diferença entre o remédio e o veneno é a DOSE.” Existem estudos de pesquisadores espanhóis e ingleses em atletas olímpicos relatando que os que treinam mais de 7 horas semanais adoecem mais dos que os que treinam menos. Isso acontece porque o sistema imunológico do corpo entende que o estresse fisiológico de alto nível é um agente agressor, ou seja, as atividades físicas de endurance fazem com que os níveis de cortisol e o estresse metabólico aumentem provocando uma ação negativa no sistema imunológico.

As atividades de intensidade moderada são as mais indicadas para manter o sistema imunológico em harmonia. Sua duração deve ser por volta de 20 minutos a 30 minutos respeitando a individualidade e potencialidade do indivíduo.

Já com relação a nutrição não existe fórmula mágica ou alimento específico para deixar o sistema imunológico adequado, o segredo é comer bem e se hidratar bem. Uma dieta balanceada ajuda o organismo a se manter preparado contra os invasores. “Se o indivíduo se alimentar corretamente, seu sistema imunológico estará competente, independentemente do tipo de infecção” afirma a nutricionista Deise Cristina Caramico, professora do Centro Universitário São Camilo – SP em entrevista a Revista Saúde.

O ideal é ingerir proteínas tanto vegetais como animais – grão de bico, feijões, leguminosas, ervilhas, ovos, carnes vermelhas e brancas, leite, queijo, frutos do mar, oleoginosas, frutas, verduras e folhagens garantem uma dieta balanceada. Outro fator importante para manter o sistema imunológico em equilíbrio é cuidar do SONO. A falta dele provoca uma manifestação extremamente negativa no corpo deixando o indivíduo mais irritado, ansioso e estressado.

Professora Juliana Speltri
Cref: 1745 G-Pr

Fontes:

  • http://nerdflix.paulogentil.com/
  • Revista Saúde – saúde.abril.com.br/tudo-sobre/coronavirus